CELSO banda

Os lisboetas que tomam em grupo o nome de CELSO estão prontos para o que der e vier, continuando a sua viagem atribulada pelos palcos da cidade.

Os CELSO são o Paixão, o Igreja, o Lima, o Martim e o Casquinho, ex-alunos do Externato Marista de Lisboa, em Benfica e conhecedores dos recantos e segredos da cidade e da sua música. É entre eles que se constrói o som citadino de ‘Tá Tudo Bem’ e ‘Leiria’.

João Paixão é guitarrista desde o 9º ano e vocalista de vocação. Estuda Engenharia Eletrotécnica no Instituto Superior Técnico de Lisboa e dá performances em banda desde os tempos de Externato.

celso banda

O João Pedro Lima é o baterista autodidáta e futuro engenheiro civíl que estuda na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, do outro lado do rio. Aprendeu a tocar bateria no iPad da mãe e no ar, até receber uma bateria elétrica.

Miguel Casquinho é o baixista que se ausentou este semestre para ir de Erasmus. Nasceu em Espanha, viveu no México e é, segundo os seus companheiros de banda, um “bom rapaz” (talvez mais perto do significado atribuido a esta expressão pelos Glockenwise). Estuda Comunicação Social na Universidade Católica de Lisboa.

celso banda

Duarte Igreja começou a tocar guitarra clássica aos 10 anos, rapidamente trocando as cordas de nylon pelo amplificador para fazer covers de death metal com o Lima. Hoje estuda Gestão em estrado na Nova SBE e lidera o papel de guitarrista na banda.

Martim Baptista está a estudar Biologia da Conservação em mestrado na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e toca guitarra, baixo e piano. Dentro dos CELSO é o teclista de serviço, mas os seus interesses passam pela criação de insetos, já que, segundo o próprio, estes fazem parte da futuro da alimentação sustentável da humanidade.

celso banda

“Acima de tudo gostamos de ouvir música”

Os CELSO formaram-se no externato, fruto da gala anual onde tocaram um mega-medley com AC/DC, Led Zeppelin, Hendrix, Beatles e onde cada membro teve direito a solo no seu instrumento. Poderá também ter sido reportado que um tal de Igreja caiu do palco, mas em prol da reputação do guitarrista ignoramos os testemunhos.

Todos os membros da banda tinham entre eles ligações musicais, de amizade ou de formação antes da gala, mas é nesse mítico evento que se juntam pela primeira vez em palco para tocarem e se divertirem em conjunto. Fora do palco ficou apenas Casquinho, que por ser um ano mais novo não pode participar. A partir daí nascem os CELSO com ensaios, composição de músicas e gravações pelo decorrer do verão de 2017.

celso banda
celso banda

O primeiro concerto oficial foi no Porto – o único concerto fora da área de Lisboa – na galeria Casa da Boavista, onde a audiência foi composta maioritariamente por estrangeiros e familiares dos artistas. No entanto, tiveram também um show de covers nas Olimpiadas Maristas, que foi tristemente cancelado a meio pela presença da polícia no local.

O grupo que se juntou por amizade para constituir os CELSO tem também um laço fundamental na vertente musical. É a partilha do gosto pela música portuguesa e pela experimentação musical numa geração que começou já por conhecer os nomes mais recentes da música portuguesa, como os GANSO, os Capitão Fausto, Luís Severo, Filipe Sambado e outros artistas da atualidade portuguesa. “Acima de tudo gostamos de ouvir música”, diz o Lima.

celso #1

O primeiro EP dos CELSO não se encontra no Spotify. É um EP antigo, produzido ainda na escola de música que só está disponível no Bandcamp do grupo, que se chama “celso #1”, composto por ‘Brandão’ (não ser confundido com o retro B R 4 N D 4 0), ‘Ziguezé’ e ‘Domingo(s)’. São as músicas de infância dos CELSO.

Grande parte dos concertos da banda foram feitos apenas com este EP underground lançado, mas com as músicas conhecidas já compostas e tocadas ao vivo. Os CELSO tocaram no Nova Música duas vezes, abriram concerto para os Pálidos no Sabotage, tocaram em nome próprio no Popular Alvalade e no Tóquio e passaram pela Nova SBE. São já, portanto, veteranos de Lisboa.

 

celso banda

Uma 'delícia'

celso banda

O EP ‘Queres É Conversa’, que saiu este ano, foi gravado em live take em estúdio, com a ajuda do Luís Montenegro da Cuca Monga. O bando de lisboetas confinou-se este verão em Coruche, para pensar novos temas, compor letras e gravar demos.

O álbum que estará, talvez, no futuro, para sair, ainda está na cabeça do grupo. Mas com algumas músicas mais antigas já preparadas, e outras no processo de criação ainda, podemos esperar mais CELSO para o que der e vier, com mais concertos em desconfinamento e a mesma atitude. Continuam os rapazes por Lisboa (põe ou tira um que vai de Erasmus) “cinco à solta, à espera de vingar”.

 

O espaço de ensaio dos CELSO é o Delícia, um snack-bar em Benfica mesmo ao pé do Externato. É na cave, um salão grande, que faz eco, usado para guardar comida ou propriedade do snack-bar e onde todos os meses há uma noite de fado, que os amigos se encontram para ensaiar e onde gravaram também os takes originais de Tá Tudo Bem e Espanhola.

Antes de encontrarem o Delícia como espaço de ensaio, os amigos costumavam tocar na marquise do Casquinho ou nas salas da escola de música. Aí surgiram as primeiras músicas. Pode mesmo dizer-se que a ‘Espanhola’ e “Brandão” são músicas de marquise.


Podes ouvir Queres É Conversa (Ao Vivo) completo no Spotify.


Perfil traçado por Carolina Chora Alves, Daniel Moura Borges e José Pedro Horta. Fotografias por Celso e Carolina Alves @ Tracks.

20 de Outubro de 2020